Mupis Digitais da PARTTEAM & OEMKIOSKS incluem sistema de desinfeção através de luz UV

Sempre na vanguarda da tecnologia e da inovação, eatendendo à crise de saúde global que estamos a enfrentar devido à pandemia COVID-19, a PARTTEAM& OEMKIOSKS inovou nos Mupis Digitais com a inclusão de desinfeção automática com sistemas de luz ultravioleta.

Tendo em conta as mudanças que o novo coronavírus veio trazer ao nosso quotidiano, também as preocupações com a proteção e com a desinfeção cresceram, pelo que o uso da radiação ultravioleta é, cada vez mais, uma opção. Mais uma vez, a PARTTEAM & OEMKIOSKS inovou nos Mupis Digitais com a inclusão de proteção desinfetante através de luz ultravioleta (UV).

Este seguro e poderoso sistema de desinfeção elimina a maior parte dos virus e germes do vidro do Mupi Digital. O modelo AVENUXYS – que foi desenvolvido especialmente para divulgação de conteúdos e para uma interação dinâmica, podendo suportar displays de grandes dimensões, assim como uma webcam móvel – beneficia do novo sistema. Mas tal não significa que este sistema de desinfeção não seja implementado noutros modelos, até porque já está a ser adaptado a outros quiosques também. O que acontece no modelo AVENUXYS, em específico, é o facto de apresentar uma barra vertical deslizante (SLIDE2BAR), que terá um sistema de raios ultravioleta que passará pelo monitor de forma automática, desinfetando assim o display.

A radiação ultravioleta é aplicável em várias áreas da engenharia (e não só), principalmente na desinfeção de líquidos e superfícies. Esta técnica de desinfeção com luz ultravioleta já é usada há mais de um século para esterilização de hospitais, equipamentos de laboratório, aviões, escritórios, fábricas e água. Devido à sua eficácia, pode também ser usada em lares, escolas, edifícios governamentais e hotéis.

Esta radiação elimina a maior parte dos virus, bactérias e outros microrganismos, pois consegue penetrar nas células dos mesmos e no seu ADN. Os raios ultravioleta podem também danificar os aminoácidos e as proteínas que protegem o vírus e que permitem que ele se relacione e infete uma outra célula.

Na China, por exemplo, os autocarros já estão a ser esterilizados com esta tecnologia, de forma rápida e eficiente. Aliás, o tempo requerido para imunizar um autocarro diminuiu de 30 a 40 minutos para apenas 5 a 7 minutos. Agora, esta tecnologia já está a começar a ser testada, inclusivamente, na esterilização de equipamentos de proteção pessoal, como máscaras e fardas.

Como atua a radiação ultravioleta? 

A radiação ultravioleta diz respeito à fração do espectro eletromagnético que inclui os comprimentos de onda abaixo da luz visível. Esta fração encontra-se subdividida em três tipos: UVA, UV-B e UV-C. Tendo em conta o tipo de radiação UV que é emitida, são vários os danos biológicos que podem daí advir. A radiação UV-A pode provocar alterações na pele, causando o seu envelhecimento. Já a radiação UV-B, além de atuar igualmente no envelhecimento da pele, é responsável por causar mutações genéticas que levam ao desenvolvimento de cancro de pele. Por fim, a radiação UV-C – por ter o menor comprimento de onda e, consequentemente, mais energia – é considerada a mais destruidora, ou seja, a que abrange a faixa germicida. Segundo um relatório divulgado pela Illuminating Engineering Society (IE S) , esta é a radiação mais eficaz na desinfeção. 

Neste sentido, a desinfeção por radiação UV-C foi desenvolvida para aumentar a eficiência da desinfeção manual, mais concretamente em ambientes hospitalares. Este sistema tem sido considerado uma tecnologia eficaz para diminuir a contaminação e o potencial de infeção, estando também provado que inativa até 99,9% dos vírus, bactérias e fungos dos ambientes. No entanto, este tipo de sistemas de desinfeção utiliza lâmpadas que emitem doses baixas e contínuas de luz ultravioleta, capaz de matar a maior parte dos vírus e bactérias sem prejudicar a pele, olhos e outros tecidos humanos.

Além disso, a radiação UV-C tem algumas vantagens que devem ser salientadas. Testes realizados demonstraram que bactérias e agentes patogénicos não resistem a esta radiação e que a mesma pode, inclusive, substituir produtos químicos potencialmente perigosos. Também a maioria dos sistemas UV-C é fácil de usar e muitos já possuem controlo remoto, como é o caso dos robots de desinfeção que começam a ser utilizados nos hospitais. Outros sistemas são, por sua vez, móveis, pelo que podem ser deslocados facilmente de sala em sala para serem utilizados em variadas instalações ou departamentos. Atualmente, os investigadores estão a realizar os testes no novo coronavírus, sendo os resultados iniciais animadores.

ENTRE EM CONTACTO CONNOSCO E PEÇA MAIS INFORMAÇÕES. CLIQUE AQUI.

CategoriasPTEtiquetas